quarta-feira, novembro 21, 2007

Coliseu dos Recreios



(foto cedida por Joana Casal)



Este post destina-se aos comentários dos palmaníacos que pretendam partilhar connosco as suas impressões sobre esta série de 3 espectáculos..a discussão está aberta!


















9 comentários:

André disse...

Acabo de chegar de lá! Vim só aqui para dizer que o concerto foi fenomenal, lindo! Com momentos brilhantes como só este Sr. Saber protagonizar!
Este Palma Sim!
Obrigado Jorge!
Não me enganei.

Maurette disse...

Achei interessante essa nota que já está no ar, no Diário Digital.

Jorge Palma no Coliseu dos Recreios: Frágil

Davide Pinheiro

O que poderia ter sido uma noite de festa acabou transformada em semi-desilusão. As brilhantes canções de Jorge Palma acabaram atraiçoadas por algum desleixo, evitável.

Dizem as más-línguas que já não tem graça ver Jorge Palma em cima de um palco sem estar ébrio, incapaz de encontrar o microfone ou sequer de não acertar uma letra. Não terá sido que se passou nos Coliseus dos Recreios mas a noite de celebração de uma carreira acabou por se ficar pela intenção.
Com a voz afectada por uma faringite aguda e um espectáculo mal preparado, foi difícil disfarçar algumas das fragilidades que Jorge Palma apresentou ao longo do seu percurso. «Vamos ver o que esta dá», disse a determinado momento, mas a responsabilidade era demasiado grande para entregar aquele momento ao acaso.
O alinhamento incoerente e com demasiadas pausas entre as canções quase fez esquecer brilhantes passagens por «Frágil», «Só» e «Na Terra dos Sonhos». De resto, foi sozinho, sentado ao piano, que Jorge Palma, mais uma vez, se mostrou à vontade, ao contrário do tempo em que foi acompanhado pelos Demitidos.
Não se trata de uma questão de falta de qualidade da banda, bem antes pelo contrário, mas de interacção, para que desastres como «Dá-me Lume», sejam evitados. De resto, a duração reduzida do espectáculo (cerca de uma hora e meia) acabou por não ser contestada pelo público, o que não é um bom sinal.
21-11-2007

Regina disse...

Pois eu fiquei desiludida. As pausas, o esquecimento de algumas letras, a voz, e, parece-me, falta de calor por parte do público...
Espero que o de hoje corra melhor.

NamoradoQueGostaDaNamorada disse...

Eu não sou fã do JP mas a minha namorada é ... de modo incondicional! Esta noite (21/11) vou ver JP pela 2.ª vez este ano. Será que vai valer a pena? Pelo que li ... na net ... faringite, lapsos de memória e banda desalinhada ... ui ... espero que a minha namorada não apanhe uma nova desilusão (a outra foi no ano passado). Gosto das letras, da musica ... mas do "artista" ... ainda não vou muito "à bola" com ele! Ele que me surpreenda!

Anónimo disse...

"Achei interessante essa nota que já está no ar, no Diário Digital."

Pois eu li esse artigo e em vez de interessante, achei-o deselegante.

"não tem graça ver Jorge Palma em cima de um palco sem estar ébrio,"

Para mim não tem graça ver jornalistas a fazer o seu trabalho sem estarem sóbrios...

"O alinhamento incoerente e com demasiadas pausas entre as canções quase fez esquecer brilhantes passagens por «Frágil», «Só» e «Na Terra dos Sonhos». "

Não sei em que concerto esteve este profissional, nem em que condições, mas não deve ter sido o de ontem no Coliseu de Lisboa, uma vez que a Terra dos Sonhos não foi tocada.

Deixando para trás o artigo, que em nada coincide com os outros dois artigos constantes no blog, confesso que estava à espera de melhor.
Talvez isso se devesse ao público não estar à altura (como vem num outro artigo no Blitz).

Palma esteve bem. O engano nas letras é uma "marca" dele. Há quem ache que não é de profissional... Eu não concordo. Palma transmite simplicidade, cumplicidade com a plateia que o acolhe (a de ontem achei-a "fria"). Muitos artistas, alguns com poucos anos de experiência deveriam "vergar-se" a esta simplicidade, a esta humildade de um "cantautor" com mais de 30 anos de carreira.

Penso que a nível da voz, o Palma comprometeu um pouco a actuação.

Não foi dos melhores concertos, mas continou a achar que o público foi culpado. Possivelmente muita gente foi arrastada pelo sucesso do "Encosta-te a mim", sem se ter encostado, previamente, à restante obra do Palma.
Acho que houve um grande desconhecimento da obra dele por parte do público que assistiu ontem ao concerto.
Não me pareceu ser o mesmo público que costuma "acarinhar" o Palma.

Independentemente disso, não "quero o meu dinheiro de volta".

Bom concerto a quem vai ainda assistir ao Mestre

Anónimo disse...

as unicas coisas más que consigo tirar do concerto foram, de facto, a curta duração e o publico nada intimista (a "culpa" é principalmente do "encosta-te a mim" ter virado hit e muitos dos presentes desconhecerem os restantes belissimos temas). De resto, ja vi o palma mais de uma duzia de vezes (bem mais) e sinto que em todas elas ele se entregou... mas como o diario digital há muito deixou de ser referencia para mim, passo por cima de criticas parvas. angela

Anónimo disse...

Quando li o diário digital pensei que tivesse havido um momento de amnésia da minha parte pois não me recordava da Terra dos Sonhos... Não sei porque ainda insisto em ler esse jornal. Como correu o espectáculo do dia 21?

Estefânia Reis disse...

Foi Brilhante...:) eu gostei e muito! Apesar da voz arranhada.. Jorge brilhou.. para mim.. brilhou mto :) teve os seus enganos.. nas letras.. no piano.. mas tal como ele disse.. "não dá para disfarçar.." E... "nao estamos aqui para enganar ninguem..".. Quem gosta.. Gosta tal e qual como ele é.. Cantou e encantou. Faltou a Terra dos Sonhos... o Jeremias... a Maça de Junho... mas tavam lá outras como o Só.. Disse Fêmea.. Valsa de um Homem Carente... Que o Porto seja grande concerto também. Beijinhos

Anónimo disse...

Na 1ª noite não houve o "Disse fêmea". Deve ter sido um bom momento...