quinta-feira, dezembro 24, 2009

Boas Festas!

O Blogue Palmaníaco e o Jorge Palma desejam a todos um Feliz Natal e um excelente Ano Novo.


Obrigado e ( cliquem sobre a imagem se vos apetecer)

domingo, dezembro 13, 2009

Jorge Palma entrevistado na TVI24

Hoje pelas 23 horas, Jorge Palma e José Luís Peixoto são os convidados do programa Autores, apresentado pelo jornalista Paulo Sérgio.


Repetições:

3ª feira - 11h06
4ª feira - 04h36

Jorge Palma com Orquestra Clássica da Madeira - Reportagem

«Nunca mais me vou esquecer!», disse ontem Jorge Palma, durante o concerto que, conjuntamente com a Orquestra Clássica da Madeira (OCM), deu no Centro de Congressos da Madeira (“Casino”).
O músico e cantor referia-se ao «convite» feito pelo maestro da OCM, apontando que poderia ser susceptível de ser considerado «um risco», já que, anteriormente, houve polémica relativamente ao cancelamento de um espectáculo agendado na Região.
Foi um risco que valeu a pena. Jorge Palma, acompanhado da colectividade madeirense, cantou, tocou e recebeu inúmeros aplausos da assistência. Ao piano, recordou grandes sucessos como o mais recente “Encosta-te a Mim” ou os mais antigos “O meu amor existe”, “À espera do fim”, “Canção de lisboa”, “Estrela do Mar”, “Deixa-me rir”, “Dá-me lume” e a “Gente vai continuar”. Quando cantou “Jeremias O Fora-da-Lei”, o músico trocou o piano pela viola. Houve também momentos de só voz e piano, tornando a actuação mais intimista. E, num concerto desta natureza, não poderia deixar de haver “encore”, com todos os músicos em palco e, claro, aplausos.

Odília Gouveia in Jornal da Madeira

sábado, dezembro 05, 2009

Jorge Palma com Orquestra Clássica da Madeira



A Orquestra Clássica da Madeira, com direcção artística do maestro Rui Massena acompanha Jorge Palma num concerto único no Auditório Casino da Madeira, no próximo dia 12 de Dezembro, pelas 21horas.



quarta-feira, dezembro 02, 2009

Jorge Palma vai à Escola com João Gil

Na passada segunda-feira dia 30 de Novembro Jorge Palma deslocou-se à Escola de Educação Popular de Campolide, para, perante uma sala repleta de muitos miúdos, e de alguns graúdos, tocar alguns temas do seu reportório.
O mentor deste projecto que visa promover o desenvolvimento pessoal através da música e do desporto, é o músico João Gil, que desta feita convidou Palma.
Deixa-me Rir, Dá-me Lume, Bairro do Amor, Estrela do Mar, Senta-te aí (Tocado por João Gil, e cantado por Jorge Palma) e Encosta-te a mim, foram alguns dos temas que se escutaram neste divertido fim de tarde.
O Blogue Palmaníaco esteve lá, e partilha agora algumas fotos convosco.

terça-feira, novembro 24, 2009

Jorge Palma em Portel

Na próxima sexta-feira, dia 27 de Novembro, pelas 23h, Jorge Palma e Os Demitidos, apresentam-se em concerto integrado na Feira do Montado em Portel.

segunda-feira, novembro 23, 2009

Jorge Palma na Gala Santareno - Reportagem

Na noite de 22 de Novembro Jorge Palma fez parte do leque de convidados que marcou presença na gala de homenagem a Bernardo Santareno. Com o tempo contado, dado o vasto número de actuações, Jorge Palma apenas teve tempo para 3 temas: Passos em Volta, Mifá e Dá-me Lume. Deixamos-vos com algumas fotos e com o melhor tema da noite (gravação no local ao vivo).

video

André Sebastião e Gustavo Andrade

sábado, novembro 21, 2009

Jorge Palma - A Bela e o Paparazzo

Como já havia sido noticiado aquando da nossa entrevista com Jorge Palma, este ano, o artista colaboraria no filme "A Bela e o Paparazzo" de António - Pedro Vasconcelos, produzindo temas para a banda sonora.
Chegou-nos hoje por comentário ao post anterior a novidade de que o trailer do filme já se encontra disponível para visualização no youtube. No fim do mesmo podem encontrar um excerto de um dos temas, que em primeira mão anunciamos que provavelmente se chamará "Tudo por um Beijo".

Fiquem com o vídeo



Obrigado ao "Anónimo".

sexta-feira, novembro 20, 2009

Jorge Palma na Gala Santareno

No próximo domingo, dia 22, Jorge Palma, a solo, é um dos convidados da Grande Gala Santareno 2009. Este espectáculo terá lugar no Teatro Sá da Bandeira em Santarém, pelas 21h30m.

segunda-feira, novembro 09, 2009

Jorge Palma com João Pedro Pais no Coliseu do Porto







Aqui fica o registo gravado do concerto de 6/11 no Coliseu do Porto.
Dia 14/11 é em Lisboa.
Dá gosto ver uma bela pianada!

Obrigado a girlangel26 por ter disponibilizado o vídeo.
Um grande bem-haja à IMAGEM DO SOM que nos ofereceu este exclusivo.
Visitem: http://aimagemdosom2008.blogspot.com/

sábado, novembro 07, 2009

Canções no osso disco imaculado


É, provavelmente, o disco mais aconselhável e brilhante de toda a carreira de Jorge Palma. Em "Só", ouve-se o cantor no melhor do seus formatos: apenas a sua voz e o seu piano. Nada mais.

Palma pegou em 15 canções anteriormente gravadas e editadas com banda e decidiu despi-las rumo a um despojamento sonoro e uma simplicidade por vezes desarmante.

Não há, no disco, uma única canção inédita. Estão lá as grandes canções clássicas, como "Bairro do amor", "Jeremias, o fora da lei", "Estrela do mar" ou, entre outras, "Frágil", e algumas das suas mais brilhantes peças, como "O meu amor existe".

Do álbum, diz-se, frequentemente, que foi captado "sem rede", isto é, gravado com a voz e o piano em simultâneo, sem grandes manobras de estúdio.

O disco, gravado em 1991, esteve durante alguns anos condenado ao esquecimento, não tendo desencadeado grandes entusiasmos na altura da sua edição. Por uma qualquer insondável razão, o merecido reconhecimento só chegou quase uma década depois.

Da vasta discografia de Palma, registe-se que, entretanto, em 2002, foi editado "No tempo dos assassinos", duplo álbum ao vivo que recupera o formato piano/voz (ainda que não na sua totalidade porque também lá há guitarra).

O músico faz 60 anos em Junho próximo. Dir-se-á que os últimos anos têm sido gratificantes para um cantor que nunca foi tão popular como agora: os seus discos vendem e esgotam-se as salas por onde passa.

CRISTIANO PEREIRA


in: JN

domingo, outubro 18, 2009

O "primeiro disco" de Jorge Palma

Esta é uma história recente e real, que nos orgulha daquilo que fazemos todos os dias.
Faz parte da nossa actividade enquanto membros do Blogue Palmaníaco pesquisar na net sobre coisas relacionadas com o Jorge Palma. Numa dessas viagens encontrámos no guedelhudos.blogspot.com o Primeiríssimo de Jorge Palma (cliquem). A partir daí coube-nos a missão de juntar vontades. Ligando o detentor do disco (Abel Rosa), que o queria entregar de boa vontade, ao Jorge Palma, que curioso queria saber do que se tratava então.
Aqui fica a história bem contada pelo IÉ IÉ, blogue onde tudo isto começou.


"Hoje uma estória em exclusivo no Ié-Ié: os mais atentos devem recordar o “Primeiríssimo do Jorge Palma”, um pequeno disco gravado em Dezembro de 1957 nas gloriosas 78 RPM, onde se pode ouvir o muito jovem Jorge Palma, desejando ao seu Pai um Feliz Natal, ao mesmo tempo que é acompanhado por um orgão muito natalício.

Pois bem, como referido, este disco acabou por chegar às mãos de um dos frequentadores do Ié-Ié, a notícia foi de imediato seguida e comentada por outros bloguistas, até que um deles, membro do blogue
Palmaníaco (Maçâ de Junho), entrou em contacto comigo, surpreso com o achado.

Após troca de emails, comunicou que o Jorge já sabia e que estava interessado e surpreendido em saber mais sobre o disco. Num desses emails, pedi ao Maçã de Junho para transmitir ao Jorge Palma que o disco era dele, que estava disponível para lho entregar.

O Jorge Palma telefonou-me, marcámos um encontro e a coisa foi interessante, uma conversa simpática e quase uma rock’n’roll fantasy (os Kinks explicam....) sobre como a minha paixão pelo vinilo e pelos discos conseguiu este feito enorme, ou seja, devolver intacta uma memória do Jorge.

Durante o nosso encontro, falámos de muita coisa, até dos Beatles (a minha paixão); o Jorge comprou a caixa estereo (a mono é que é....) e viu o "Love", do Cirque du Soleil, em Las Vegas.

Falámos de músicas e de filmes, estávamos perto de uma loja com o nome ROSEBUD, veio à memória o Orson Welles e o "Mundo A Seus Pés" ...e de Gibsons Les Paul (tenho uma...) e de mil pequenas grandes coisas, preparem-se, o Jorge tem umas músicas novas e está a compor a banda sonora de um novo filme, vem aí novo album.

Claro que também levei comigo um disco emblemático do Jorge em vinilo, “Qualquer Coisa P'á Música”, que, só por si, tem também mais uma estória que merece ser contada:

Há muitos anos... quando saiu “Qualquer Coisa P'á Música”, eu tinha acabado de o comprar na Baixa e passeava com ele gloriosamente debaixo do braço, na Praça da Figueira, e eis senão quando, ao passar uma esquina, aparece o Jorge pela minha frente...

Naqueles segundos fiquei sem fala e, atrapalhadamente, saco do disco e quase lhe partia a viola da altura e lá ficou o autógrafo para a posteridade: “Assim mesmo ao virar da esquina cá vai aquele abraço”.

Hoje, após o nosso encontro, contei-lhe a história e pedi-lhe novo autógrafo: ”E assim se passaram 30 anos e cá estamos nós outra vez, Abel. Trouxeste-me 1 presente mágico, muito obrigado e até à próxima, grande abraço...”.

O momento foi mágico e especial também para mim.
Recordo que a música "Maçã de Junho", ID do Bloguista, está neste fantástico álbum, com cheiro a rua e a boémia.

Para ele, também um abraço e não esqueças: Na terra dos Sonhos....


Texto de Abel Rosa" in Ié Ié

Obrigado Abel pela nobre atitude.

sexta-feira, outubro 16, 2009

Jorge Palma e Zé Pedro convidados de João Pedro Pais

O músico apresenta o seu mais recente registo " A Palma e a Mão" no Coliseu do Porto dia 6 de Novembro e Coliseu dos Recreios dia 14 de Novembro.
À semelhança do disco, estes espectáculos contam com as participações especiais de Zé Pedro e Jorge Palma.

terça-feira, outubro 13, 2009

Jorge Palma em Pevidem





O final de um intenso ciclo de concertos, com um Jorge Palma cheio de alma e rejuvenescido, muito bem acompanhado musicalmente por Gabriel Gomes e Vicente Palma...o trio no seu melhor!

Imagens cedidas por Manuela Cunha

segunda-feira, outubro 12, 2009

Jorge Palma regressa ao Liceu Camões

Após a passagem como jovem estudante pelo Liceu Camões, Jorge Palma junta-se a Zé Pedro, Coro Sinfónico Lisboa Cantat, Beatriz Batarda, entre outros, num concerto integrado nas comemorações do centenário desta instituição lisboeta, no próximo dia 16 de Outubro, pelas 18horas.

segunda-feira, outubro 05, 2009

Chuva cancela concerto de Jorge Palma em Matosinhos


Vem, Chuva, Vem
Vem, Chuva, Vem
Molhar os meus sentidos
Ressentidos da poluição

Vem, Chuva, Vem
Leva-me do peito a saudade
E a solidão

Vem, Chuva, Vem
Lavar os meus cabelos
E os dedos amarelos do fumo

Vem, Chuva, Vem
Encher a maré
Dar movimento a este barco sem rumo

in acto contínuo 1982

sábado, setembro 26, 2009

Jorge Palma no Seixal - Reportagem

Ao longe içavam-se as bandeiras, e soavam as vozes partidariamente entusiastas...
Contudo, o motivo da nossa visita ao Seixal não era outro se não o concerto em si.
A praça acolhedora (largo da Igreja), as gentes de todas as idades, os mais velhos sentados e os mais novos brincando em frente ao palco, e isto, enquanto um pouco por todo o lado desfilavam autarcas engravatados... Foi todo este público que após comício não arredou pé, expectante para ver Jorge Palma ao vivo.
23h, badalava onze vezes o sino da Igreja dando entrada a(o) Lobo Malvado. Palma esteve notoriamente bem, irrepreensível, tanto na voz como na guitarra e no piano, surpreendo com alguns rasgos de solo-guitarra mais originais tanto em "Lobo Malvado", como em "Maçã de Junho".
O tempo escasseava e Palma já tinha avisado que o "limite legal" para o STOP seria a meia-noite. As circunstancias ditavam que o alinhamento de 14 músicas sem encore tivesse de ser cumprido com especial dinamismo. O ritmo seguiu excelente, com perfeita coordenação ente músicos, onde quero destacar a cumplicidade crescente entre Palma e Gabriel Gomes, que cada vez mais e melhor se entendem, proporcionando momentos de grande qualidade e liberdade musical.
12 badaladas soavam e ainda faltavam 3! Jorge Palma perguntou se haveria alguma tolerância?
O público "legislou" gritando que "SIM", que era a noite toda!
"Encosta-te a Mim", "Portugal Portugal", "A Gente vai Continuar", foram tocadas quase sem interregno concluindo a actuação, numa noite de um Jorge Palma ao seu melhor nível, numa noite em que só ficou a faltar mais uma hora ou duas de concerto. O público despediu-se entoando repetidamente: "Enquanto houver estrada p'ra andar", debaixo de palmas, Jorge Palma abandonou o palco com o tradicional grito das tropas pára-quedistas Americanas : - "GERONIMÔ!"

Alinhamento Oficial


p.s - Jorge Palma agradece a todos os que votaram na última sondagem, sobre o novo disco que se avizinha, referindo que para ele a vossa opinião conta muito.

+ fotos em breve

Obrigado Lourenço

quarta-feira, setembro 23, 2009

Jorge Palma no Seixal

O concerto de Jorge Palma no Seixal integrado na iniciativa da CDU, tem inicio por volta das 21h*, e realiza-se junto à igreja do Seixal, perto da Câmara Municipal.

* Não se sabe se os discursos são feitos antes ou depois.

segunda-feira, setembro 21, 2009

Agenda de concertos Setembro/Outubro 2009

22 de Setembro Samora Correia - Trio *

25 de Setembro Seixal - Trio * (junto à Igreja/Câmara Municipal)

26 de Setembro Resende - com Os Demitidos

2 de Outubro Amadora - Trio * (cancelado)

3 de Outubro Maia - Trio * (junto ao Modelo - Pedrouços)

4 de Outubro Loures- Sacavém - Trio * (Pavilhão do Sacavenense)

5 de Outubro Matosinhos - Trio * (marginal de Leça da Palmeira)

7 de Outubro Coimbra - com Os Demitidos (Welcome Caloiros '09 ISEC)

8 de Outubro Braga - Trio * (Avenida Central)

9 de Outubro Guimarães - Trio * (Pevidem)

* iniciativa CDU

quinta-feira, setembro 17, 2009

Jorge Palma em Constância

Concerto amanhã em formato de trio (com Vicente Palma e Gabriel Gomes), dia 18 de Setembro, no Pavilhão Polidesportivo da Sociedade Recreativa Portelense, em Santa Margarida da Coutada, integrado em iniciativa partidária da CDU.

sábado, setembro 12, 2009

Don Giovanni de W.F. Mozart revisto por Jorge Palma

O Expresso a 10 de Abril questionou 8 criativos portugueses, entre os quais Jorge Palma, " Qual a obra que gostaria de ter criado?":

" O cantor e compositor gostava de ter composto "Don Giovanni", de Wolfgand Amadeus Mozart, com o libretto de Lorenzo da Ponte. " Na realidade, vou reinventando esta ópera de cada vez que penso nela. Ouço-a com ouvidos de aprendiz, com uma certa inveja natural, por não ter vivido naquela época libertina (não me queixo da minha, mas acho que os cavalos dos frades que raptavam freiras corriam mais depressa que os actuais TGV) e com a frustração de não conseguir, com um simples acorde de Ré menor, apresentar a imponente figura do Comendador". Palma diz que gosta de "encarnar a figura de Giovanni, esse indivíduo amoral, amante das coisas boas da vida, por elas ás vezes subjugado." Na pequenez de Leporello, na Anna ultrajada, na despeitada Elvira, na seduzida Zerlina, está um pouco de todos nós. Tudo isto, transportado cá para dentro pelos canais auditivos, só pode ter um adjectivo: sublime." O compositor "também gostaria de ter escrito outras 1789 obras, pelos menos. Vai-se tentando..."

Texto de Katya Delimbeuf in Expresso

quinta-feira, agosto 27, 2009

Amanhã no Jornal I - Jorge Palma


Estes aviões passaram mesmo na praia, mas o letreiro era tão difícil de ver que tiveram de ser feitos alguns ajustes na imagem.
Clique na imagem para ler a entrevista e para ver fotos e vídeos da mesma.



fonte: jornal I

domingo, agosto 09, 2009

Cotonete Golden Blog

Depois de ter sido destacado como blog da semana, o Blogue Palmaníaco já se encontra sujeito a votação para Blog do Mês no Cotonete. A votação está aberta até ao final do mês de Agosto. Contamos com a vossa participação.
Podem votar aqui.

sexta-feira, julho 31, 2009

Preferências para o novo disco de Jorge Palma

Como deve ser do vosso conhecimento, Jorge Palma encontra-se a trabalhar num novo álbum.
Contamos convosco para lhe transmitir-mos algum feedback em relação ao tipo de trabalho que esperam. Para isso basta responderem à sondagem que se encontra na barra lateral. O resultado será depois comunicado ao próprio Jorge Palma.

Antecipadamente Gratos

Blogue Palmaníaco

p.s - Cada um pode votar em mais do que uma opção de acordo com a sua preferência.

domingo, julho 26, 2009

Jorge Palma na Maia - Reportagem


Rosa Branca
Dormia tão sossegada
Voo Nocturno
Escuridão (vai por mim)

Fado do Encontro
Quarteto da Corda
Bairro do Amor
Jeremias, o fora da lei
Estrela do Mar
Eternamente tu
Frágil
Deixa-me rir
Disse Fêmea
Imperdoável (a editar em novo disco)
Olá (cá estamos nós outra vez)
Encosta-te a mim
Portugal, Portugal
Finalmente Sós
A gente vai continuar
Like a Rolling Stone


O complexo de Ténis da Maia "arrotava magotes de gente" quando passados poucos minutos da meia-noite, Jorge Palma subiu ao palco.
Antecedido por Ekus (banda local) e por Rita Redshoes, que Palma lamentou apenas ter encontrado de passagem, não tendo conseguido ver o seu espectáculo.
Jorge Palma apresentou-se notoriamente cansado. Cansaço esse que foi sendo vencido no decorrer do espectáculo, que se pode descrever como um crescendo, requerendo um aquecimento de motores, e como tal, tendo alguns momentos mais fortes e outros menos. Destacam-se pela positiva: Bairro do Amor; Eternamente Tu; Portugal, Portugal; Like a Rolling Stone. Outro destaque vai para a "estreia mundial" de Lourou Zedo (Lourenço), companheiro de estrada de Jorge Palma. Foi no Jeremias que este se estreou na harmónica, acompanhando Jorge e Vicente Palma, regressando depois no último tema do concerto, para com toda a banda concluir com Like a Rolling Stone.
Houve ainda tempo para Palma nos brindar com um "cheirinho" do novo trabalho que se avizinha: " Imperdoável é o que não vivi, imperdoável é o que esqueci, imperdoável é desistir de lutar, imperdoável é não perdoar..."
Mais uma história, mais uma viagem, segue a estrada... segue o homem, o senhor, o boémio, o génio... são muitos os nomes que se lhe podem atribuir , têm todos o seu quê, a sua parte certa, cabem todos no cidadão do mundo: Jorge Manuel d'Abreu Palma.

Mais fotos deste concerto em Imagem Do Som




Reportagem por André Sebastião e Tiago Branco

sábado, julho 25, 2009

quarta-feira, julho 22, 2009

Jorge Palma & Os Demitidos em Gavião

Chegados ao espaço em frente ao palco, a imagem não era a melhor…Não nos estávamos a imaginar a assistir ao concerto sentados…e ainda que fosse na primeira fila, onde ainda estivemos, estávamos relativamente longe do palco…22h (hora prevista para o início do concerto) e ainda estava tudo muito atrasado… O pessoal técnico ainda afinava os instrumentos e acertos de som e imagem… Por várias vezes chamámos e ouvimos chamar “Jorge” ou “Palma”.
Pelas 22:50, entra Jorge Palma (deixando-nos um pouco receosos com o seu equilíbrio), seguido da banda, começando muito bem com “Rosa Branca”. Por esta altura já os mais jovens estavam mesmo em frente ao palco, deixando as cadeirinhas para os mais velhos. Seguiu-se “Dormia Tão Sossegada”, “Voo Nocturno”. Alguém do público gritou “tell me stories, man”, ao que Jorge respondeu “I’ll tell you stories”. Para nosso espanto havia muita gente que conhecia as músicas de albúns mais antigos, acompanhando-nos a cantar. Antes de “Quarteto da Corda”, Jorge Palma anunciou: “Esta é dedicada a todos vocês, sobretudo aos meus colegas das Mouriscas! Tempos memoráveis!...É bom!”. Seguiu-se “Escuridão”, “Só” (onde desde logo o acordeonista Gabriel Gomes se mostrou bem animado, acompanhado de uma garrafa de água com vinho tinto e de um cigarro). E eis que alguém chega ao pé de nós a pedir que não tirássemos fotografias com flash! “Bairro do Amor” (“costumo tocar esta à guitarra mas hoje é ao piano!”, surpreendeu-nos o Jorge, fazendo-se acompanhar de Gabriel Gomes ao acordeão e de Vicente Palma à guitarra acústica). Improvisou um pouco…saciou a sede com cerveja… “Gaivota dos Alteirinhos”… antes de mais uns improvisos ao piano comentou: “Não temos pressa!...All nigth long!”. “Estrela do Mar” (ao piano), apesar de nos ter parecido perfeito, para o Mestre apenas esteve “quase lá”!....Seguidamente dedicou “Eternamente tu” a um colega que percebemos chamar-se João (qualquer coisa) … pelo meio da música entrou um pouco da música do 007. E lá continuava, sempre bastante comunicativo com o público. Mário Pereira deu uma ajuda com as partituras. Cantou um pouco em Espanhol. (Infelizmente não conseguimos perceber o quê). Seguiu-se “Disse Fêmea”, “Frágil” com um grande solo de Manuel Paulo no órgão. “Dá-me Lume”. Alguém do público disse “estão todos demitidos” e Jorge Palma concordou: “todos!”. Por várias vezes se ouviu “és grande!”, “és o maior”… provando o agrado do público. Jorge Palma apresenta a banda e conta uma estória alternativa do capuchinho vermelho, enquanto improvisa ao piano: «Era uma vez o capuchinho vermelho, que andava pela floresta…encontrou uma papoila. “O que é isto?” – pensou para ela própria. “É uma papoila! Vou comer a papoila!” e o lobo diz que não pode porque era para ele “- oh capuchinho, a papoila é minha”, “- não, não, agora é minha porque eu é que a apanhei”, “desculpa lá mas eu não bato em mulheres!...muito menos à capuchinho!....oh capuchinho, ofereces-me uma rosa?”, “- vou ver se a encontro!”, encontrou um trevo mas só tinha 5 folhas e o lobo queria um de 4…era para lhe dar sorte, dizia o lobo! “Eu tenho uma avozinha que tem uma casa ali…queres ir lá?”, “Why not? Bora lá capuchinho!” Bateu à porta da avozinha. “Se quiserem vão para o anexo porque aqui já estou ocupada; a casa está cheia!” Lá foi o capuchinho com o lobo…foram felizes durante uns tempos, não sei quanto…Depois chegaram os caçadores…” e foi a vez de “Deixa-me Rir” com bastante participação do público…no intervalo cantámos em tom de pedido, “Jeremias, o Fora da Lei”. Seguiu-se “Olá, cá estamos nós outra vez!”…e Jorge pediu ao público para não o desconcentrar. “Encosta-te a mim” ….. “Obrigado a todos por estarem aqui! … Podia estar a tocar bem pior!”. Pedimos “Portugal, Portugal”…Gabriel Gomes comentava com o Jorge “Como sabem?” (pelos vistos viria mesmo “Portugal, Portugal”) e eu ainda disse “são muitos anos”, e ele: “Pois, estou a ver!”. Depois, “Picado pela Abelhas”, “Finalmente Só”, “A Gente Vai Continuar”… tocou um pouco: “somewhere, over the raindow (…)” e brindou-nos com um extra que confessou não ter sido ensaiado mas ninguém diria: “Like a Rolling Stone”.


Artigo de Telma Pereira e Fotos de Ricardo Calhau

quinta-feira, julho 16, 2009

Jorge Palma nas Festas de Lisboa - Reportagem


Este espaço vai contar com a presença de vários elementos, desde texto a imagem, passando por vídeo ou som. A ideia é reunir vários conteúdos que possam descrever o concerto.
Participem, enviem para ladoerradodanoite@gmail.com o vosso contributo que aqui será colocado.


Amigos e companheiros:


Não se pode tentar explicar a intensidade da vida de um palmaníaco. Podem-se tentar esboçar alguns rascunhos, mas não há palavras para a saga que se desenrolou na noite passada. O encontro palmaníaco começou com alguns atrasos e avarias, pequenas coisas que em nada nos impediram de partir para uma das maiores aventuras das nossas vidas. Daquelas que ficam na memória para contar às futuras gerações.


Sentados nos melhores lugares e a desfrutar do esplendor de Belém, começámos por ver o Jorge Palma de guitarra eléctrica na mão, a tocar a "Portugal, Portugal" como se fosse um hino nacional. Acompanhado pelos melhores músicos, Palma deu seguramente um dos melhores espectáculos de sempre. Não só porque se juntaram os melhores do país para dar "Qualquer coisa pá música", porque o que eles deram foi mais do que isso.


Pairava em Belém uma energia que penso só poder ser equiparada ao clima festivo durante os campeonatos europeus de futebol. Os que passaram por aquele palco uniram-se para dar um verdadeiro espectáculo, uma festa que transmitiu boa onda e um espírito de optimismo, confiança e bom humor que nos deixaram em transe e que fizeram pular os portugueses mais sisudos. A arte da música, senhoras e senhores, no seu estado mais puro.


Vimos um Jorge Palma (surpreendentemente) bem comportado e com uma grande postura profissional. Organizar um evento deste calibre e representar o melhor do país é uma grande responsabilidade. O resultado foi o melhor. Os Palmaníacos também se portaram bem, e como bons fãs, fomos, depois do espectáculo, prestar um tributo ao Jorge à entrada do backstage, de guitarra e de copo na mão. Ficámos ali a improvisar até que os seguranças cederam e finalmente nos deixaram ir congratular os artistas da noite.


O que começou por ser uma visita aos bastidores transformou-se milagrosamente numa maratona de música, de rock&roll&blues, de alegria e companheirismo até ao sol nascer. Há horas de sono que valem a pena serem perdidas porque há momentos de sincronização que valem a pena. Também nós, Palmaníacos, demos "Qualquer coisa pá música".


Há coisas que são só nossas. Juntos somos imbatíveis. Em breve o alinhamento e a crítica ao espectáculo estarão alinhavados no BP de um modo mais descritivo e formal. Aqui ficam as minhas memórias. Guardem as fotografias e mandem os vídeos! Queremos tudo! Porque não "vemos sempre a preto e branco o programa que afinal é a cores".
___________________


"Qualquer coisa pá música" foi o mote que inspirou o encerramento das festas de Lisboa, que começaram há dois meses. O espectáculo que teve lugar em Belém para finalizar as comemorações não tem palavras para o descrever. Diria que foi "espectacular", se isso não implicasse cair em redundância.


A qualquer hora, Belém parece um postal daqueles que as "bifas" mandam aos namorados nas férias da Páscoa. Quando se monta um palco junto à torre de Belém, "não há hipótese", como se diz no nuarte (carago!). Temos que nos sentar no relvado a beber uma jola e a pensar que aquele recinto dá para algo em grande, como por exemplo: juntar o Jorge Palma, o Rui Reininho, o Sérgio Godinho, o JP Simões, a Mariza, o Fausto e o Adolfo Luxúria.


Se Portugalol (como diz um krido amigo) é um jardim à beira mar, volto a frisar que Belém é um SPA de verduras que percorrem mais de 5 Kms ao lado da marginal. Tudo isto engolindo o estupidamente colossal CCB e o mosteiro dos Jerónimos.


Mas, voltando à noite passada - nada se podia esperar a não ser uma simbiose perfeita entre excelentes músicos que já há muito tempo andam na estrada. Só ontem é que podíamos ver, num record de 2 horas, um Rui Reininho engravatado a cantar o "Frágil" tal como um groovie Bowie português; um pictórico Adolfo trovador a dar o estilo dos "Mão Morta" ao tema "À Espera do Fim"; a Mariza a transformar em épico o fado da "Canção de Lisboa"; o Gordinho a bancar o papel de avô cantigas e um JP Simões, cujo timbre nem tem comparação com o Jacques Brel, a trautear o "Bairro do Amor". Cada convidado, entre outros que se apresentaram (como a quase anónima mas arrepiante Cristina Branco), deu o seu cunho pessoal a uma interpretação única que tinha apenas por objectivo dar "Qualquer coisa pá música". Simples e porreiro, pá.


De borla, entrada mais do que livre, como gostam os portugueses. A escolástica do país 'teve toda lá para dar o exemplo aos mais pequenos. Em termos politicamente correctos, foi uma reciclagem e uma forma de maximizar os recursos, valorizando o PIB. Na capital, reuniram-se os melhores num plural majestático. Simply de Best.

Ana Rita Nascimento

AR

Alinhamento oficial

1 -Portugal, Portugal (Toca a Rufar e Gaiteiros de lisboa)

2 - Rosa Branca

3 - Voo Nocturno

4 - Olá (cá estamos nós outra vez)

5 - Frágil (Rui Reininho)

6 - Cara d'anjo Mau

7 - Deixa-me Rir

8 - Canção de Lisboa (Mariza)

9 - Bairro do Amor (JP Simões)

10 - Gaivota dos Alteirinhos

11 - Abrir o Sinal

12 - Estrela do Mar (Cristina Branco)

13 - Maçã de Junho

14 - Jeremias,o Fora da Lei (Sérgio Godinho)

15 - À Espera do Fim (Adolfo Luxúria Canibal)

16 - Só

17 - Quarteto da Corda

18 - Dá-me Lume (Fausto)

19 - Finalmente a Sós

20 - Encosta-te a Mim (Gaiteiros de Lisboa)

21 - Picado pelas Abelhas

22 - A gente Vai Continuar (TODOS)


Fotos: 1ª de Tiago Bártolo/3 seguintes de BP/ restantes de Ricardo Calhau




domingo, julho 12, 2009

Jorge Palma nas Festas de Lisboa

Como o Blogue Palmaníaco anunciou anteriormente, Jorge Palma sobe ao palco junto à Torre de Belém, na próxima quarta-feira, dia 15, pelas 22 horas, num espectáculo que marca o encerramento das Festas de Lisboa 2009.

Este concerto especial, marca também os 30 anos da edição do álbum " Qualquer Coisa Pa Música" e contará com vários convidados especiais: Mariza Rui Reininho, Cristina Branco, Sérgio Godinho, Adolfo Luxúria Canibal, Gaiteiros de Lisboa, JP Simões e Toca a Rufar. Além destes convidados, Jorge Palma será acompanhado pelos Demitidos e por um Quinteto de Metais, com alguns dos mais conceitados instrumentistas nacionais: Guto Lucena, Edgar Caramelo, Ruben Santos, Laurent Filipe e Jean Marc. A entrada é livre!
Palmaníacos que querem alinhar num encontro antes do concerto: passem pelo fórum para confirmar a presença!

sexta-feira, julho 10, 2009

Blogue Palmaníaco é Blogue da Semana do COTONETE

"Reconhecendo o bom trabalho do seu site, a vários níveis, gostaríamos de fazer da sua página online um dos nossos destaques a breve prazo."

E assim foi, e o BP foi destacado na rubrica Blogue da Semana pelo Cotonete, conhecido site de música nacional. Esta rubrica destaca semanalmente blogues musicais de relevo do panorama nacional.
No final do mês, existe uma votação no mesmo site, onde se elege de entre os destaques da semana o melhor do mês. Contamos convosco para lá deixarem o vosso clique.
Para aceder ao artigo basta clicar na imagem em baixo.




«Sendo na essência um clube de fãs, os colaboradores do blog são «uma legião de jovens "palmaníacos" que acompanham o trabalho e os espectáculos». No entanto, os bloggers fazem questão de sublinhar que as colaborações são «intermitentes», já que a recolha de material é «amadora e pouco sistemática». A esse volume de trabalho é necessário juntar ainda as contribuições dos leitores. Um blog, usado «enquanto instrumento de comunicação», «permite um maior nível de interactividade e dinamismo do que um website».

Agradecimento especial a Hélder Gomes

terça-feira, junho 30, 2009

quarta-feira, junho 17, 2009

Foto-Músicas

Mais uma participação para o desafio Foto-músicas do Jorge Palma!

Fiquem com a singela interpretação do tema "Mifá", feita pelo palmaníaco André Sebastião.

***
Escrevi isto para acompanhar a imagem, ao ouvir a Mifá que gravamos em casa do Jorge. A foto foi tirada na praia do Rei, para os lados do Hula Hula Bar. É esta a minha contribuição. Cumprimentos para todos.

Mifá
É de um comboio que eu te escrevo,
São os teus olhos que eu levo,
Dentro dos meus
Vê lá tu
(...)
E toda esta conversa
É só por tu teres vindo comigo
Por termos conseguido chegar juntos ao ninho
Por esses momentos em que eu
Não fui sózinho
Mas depois foi a bagagem
E o inevitável adeus do caminho,
Mifá
Tem cuidado contigo
...
O relógio dizia que era tarde, a viagem seguia compassada ao ritmo da máquina a vapor que se sobrepunha na perfeição ao sistemático ciclo que me fluía nas veias. Tinha sido a viagem mais longa das nossas vidas e ainda circulavam em mim, quando fechava os olhos, as memorias que dispersas, quando coladas, faziam um filme lindo. Era sempre essa cor, esse colorido passaporte. As noites passadas na ponta do cais branco, da luz da lua, eram a forma que eu tinha agora de me transportar para o mundo dos sonhos. Através desse mergulho, dessa sorte decidida no vai-vém espacial em que as ondas encontram o seu término retorno. Escrevo-te agora deste comboio chamuscado, desta cadeira destroçada pelo tempo, deste espaço tão incerto que bebe do doce retorno de verdes misturas das montanhas, que se espalham neste vidro sujo... Quantas vezes não podia querer ter perdido a viagem, ficado na plataforma? Quantas vezes as paragens também pareceram descrever o movimento inverso que se impunha no fluxo dos meus pensamentos? Mas quantas... Acho que não faz falta que alguém saiba. A vida, tal como o sentido dos carris, tem que fluir, fluir de novo. Desfeito, refeito, de novo feito. Saco às costas. Até lá.

sexta-feira, junho 12, 2009

À Conversa com Jorge Palma

Finalmente a entrevista...
Clique na imagem




















Para finalizar, fiquem com o Yogi Pijama - Jorge Palma e Gustavo Andrade.



Todos juntos recordámos acordes e letra (não foi fácil) de uma canção linda, há muito não tocada. Valeu o bom domínio dos acordes por parte do nosso Gus, partes da letra na cabeça de todos, e o talento do nosso Jorge. Digam lá que tudo isto não culminou num enorme momento?

terça-feira, junho 09, 2009

Foto-Músicas


Desta vez o contributo para o desafio "Foto-Músicas" veio do palmaníaco Ricardo Calhau. Obrigada pela participação e pela tão inspiradora prestação!





























"HÁ MUITO TEMPO"



“Teias de ferro fortificam a cidade industrial
Que se alimenta do suor dos corpos mecanizados”

Quando tirei esta foto, algures entre o Cais do Sodré e Santos, veio-me à cabeça imagens sugeridas por alguns excertos desta música do mestre.
No momento da foto lembrei-me precisamente das “Teias de Ferro “ que “fortificam a cidade industrial”… o aço, o betão, as máquinas que invadem constantemente o nosso espaço…

Mas depois ali sentado à beira rio, com a “Há muito Tempo” a rodar dentro da minha cabeça começou-se a música a exteriorizar em imagens que se passavam ali perto na estação do Cais do Sodré…imagens que vendo-as de fora, percebi que por vezes podem ser tão próprias.

Naquela esplanada e pensei verdadeiramente no conceito do “inconsciente activo”… Quem é que ainda não reparou nisto? Quantas vezes nos deixamos submergir nas nossas rotinas, quantas vezes nos sentimos zombies ou robots…pessoas automatizadas, sem alma repetindo os mesmos gestos todos os dias sem reparar em nada nem ninguém...que estão ali ao pé e também agem da mesma forma…

Estaremos mesmo nós “a estragar o tempo”?

Beijos e Abraços
Ricardo_Calhau

segunda-feira, junho 08, 2009

Desafio Foto-Músicas

Pessoal, a Cris participou no desafio "Foto-músicas" do Palma. Aqui fica a sua proposta. Esperamos mais participações, basta enviar uma foto tirada por vocês que vos lembre um tema do Jorge. Acompanhada da foto deve vir um pequeno texto a justificar a vossa escolha!

Cris H: Parabéns e obrigada!
Saudações P@lmaníacas*
____________________________

Foto escolhida para o tema "A Canção de Lisboa"



Aconteceu que descia pela calçada que vai ter à Sé de Lisboa. Acontecia um casamento dentro das paredes medievais daquele império. Domingo de manhã e a quietude do que acontece. Pétalas de rosa na entrada. Sinos que ao longe de uma igreja escondida faziam lembrar que já tardava. Um coração de feltro pendurado fazia de pregão ao amor.
Já gostei mais de ti, ó cidade...

Cris H.

domingo, junho 07, 2009

Confissões de Jorge Palma ao Expresso



Jorge Palma é capa da Actual desta semana, suplemento cultural que integra o semanário Expresso. Um diálogo com carácter bastante introspectivo por parte de Jorge Palma, a ler com atenção.


Clicar aqui para ler o artigo na integra.

foto in expresso online

sábado, maio 30, 2009

Jorge Palma no Rock in Rio 2010

Hoje começa a contagem decrescente para o Rock in Rio 2010 onde Jorge Palma  muito provavelmente estará presente. Para assinalar a data, a noite inicia-se no Hotel Altis Tejo pelas 21 horas, com uma jam session para convidados e parceiros do evento, onde participarão vários artistas entre os quais Lúcia Moniz, Boss AC e Jorge Palma.

O fim do Verão - Jorge Palma

Depois chegou a escola, outro liceu, e quando chegou o fim do verão sobre a praia a gente tem de se deixar, talvez p'ra sempre.

Deu um pontapé numa folha e saiu-lhe uma pedra, daquelas saídas do chão. Teso, demasiado novo, à mercê dos ídolos. A miúda deu-lhe com um sorriso, o chavalo mais velho ganhou-lhe fortunas ao poker, imaginárias pois, que o pai mandou-o p'ra outro país imaginário ainda. Era o tempo dos gatos selvagens, o cavalo chegou-se à égua, ela a escoicear, ele a empinar e o puto a cair e a desmaiar. Depois chegou a escola, outro liceu, e quando chegou o fim do Verão sobre a praia a gente tem de se deixar, talvez p'ra sempre. Esquecer essa praia é difícil, deram cabo dela, não era uma praia, era uma fronteira linda entre areia e mar, sem barreiras. Homem a cantar na praia, no colégio interno, porque muita gente se estava a portar mal, putos a aprender física, matemática, música, e a esquecer essa praia, e os primeiros beijos sempre às escondidas nalguma folha de geografia. E ao lado dos soldados a caminho da guerra, ao som de B-Gees (Massachussets), sempre no fim do Verão, o miúdo a tentar ser desvirginado, até que conseguiu nalguma esquina malvada, um pouco tarde, entre o Sul e o Norte, na verdade não se sabe bem, mas foi mais pró centro. Quando lhe disseram que tinha uma obrigação, foi passear até à praia, esse puto não acredita no fim do verão.


Autor: Jorge Palma
in 365, nº26, Maio 2008
Fotografia:
"Na Palma da Mão" - Biografia

quarta-feira, maio 27, 2009

Festas !


Há 30 anos que o disco "Qualquer Coisa Pá Música" foi lançado (1979). Neste terceiro de originais, encontram-se temas como: Quero o Meu Dinheiro de Volta, Terra dos Sonhos, Essa Miúda, Tu És um Lindo Rapaz, Maçã de Junho e Acorda Menina Linda. (Reparando bem, o Jorge tem seguido um pouco esta linha nos últimos concertos.)

Mas, não foi "só" pa isso que eu vim cá.

Além destes Parabéns, tenho de perguntar:

O que têm em comum Jorge Manuel de Abreu Palma, Adolfo Luxúria Canibal (dos "Mão Morta"), Sérgio Godinho, Mariza e Rui Reininho?
Entre outros, estes ícones da música portuguesa vão encerrar as FESTAS DE LISBOA, no próximo dia 15 de Julho, às 22h, na Torre de Belém, com um concerto intitulado "QUALQUER COISA PÁ MÚSICA" (Cá pra nós, bela maneira de comemorar os 30 anos do álbum!) Entrada livre.
Segundo o Blitz:
Que tal um encontro Palmaníaco, dia 15 de Julho, algures em Belém?

domingo, maio 24, 2009

"Qualquer coisa para" o Palma!

Bonjour PALMANÍACOS (= MANÍACOS POR PALMA, com tudo o que isso possa significar, para o bem e para o mal).

Partilhem as imagens que vos inspiram. A ideia é vocês enviarem para o e-mail do blog (ladoerradodanoite@hotmail.com) uma foto que vos lembre uma música do Jorge Palma.

Aqui vos deixo um exemplo:

"Ainda Há Estrelas no Teu Olhar"


Sei que estás a sofrer,
Que o teu homem foi-se embora outra vez,
Partiu como um furacão
E tu só pensas no bem que ele te fez...
Tentas dormir
Mas o teu sono parece ter voado com ele
E a noite colou-se às tuas costas,
Tão escura como um pesadelo.
Mas, ouve bem, meu amor:
Não é tarde para sorrires outra vez.
Ainda há estrelas no teu olhar.

in 'Té Já (1977)

(Foto "azulejada" tirada numa fachada perto do Marquês de Pombal, em Lisboa. Associei esta imagem, que retrata as viagens dos portugueses pelos Descobrimentos, à música "Ainda há Estrelas no teu Olhar". A música provavelmente referia-se às viagens para a Guerra do Ultramar, que obrigaram muitos homens a partir e a deixar as suas mulheres...de qualquer maneira, na foto estão "uma espécie de" anjos no céu a orientar as estrelas para os viajantes. Poderiam ser eles a dar as estrelas a tantos olhares desorientados?

***

Tirem o pó às vossas máquinas e toca a fotografar! Não se esqueçam que uma ligação a uma música do Palma é crucial! Sejam criativos ou poéticos...e expliquem a vossa opção. (E nada de pesquisar no Google Images.)

Escusado será dizer que as propostas mais inspiradoras têm direito a publicação e a uma pequena surpresa... ;)

Contamos convosco! Porque uma imagem vale mais do que 1000 palavras.