quarta-feira, agosto 27, 2008

Jorge Palma em Cascais

Ontem na Baía de Cascais, Jorge Palma apresentou-se com os seus Demitidos frente a um público bem composto e animado. O concerto foi divertido. Os músicos são excelentes, as musicas são muito boas, o Jorge é um Génio... contudo, a meu ver, o Jorge Palma está cansado, a voz está desgastada após centenas e centenas de concertos com curtos intervalos de tempo entre eles. Basta consultar a agenda do nosso Blogue com mais atenção para ter-mos uma clara noção disso mesmo.
Não sei bem com quem me revoltar, não sei ao certo o porquê... Mas digam lá que tudo o que é realmente bom não costuma ser raro? Critico aqui hoje, negativamente toda a maquina que está por detrás de um homem, de um ser humano de excepção, que o "obriga" a uma exposição forçada, a um desgaste desnecessário, capitalista.
Não é (só) a massificação e a exposição exagerada que trazem a popularidade e o sucesso. Há que ter qualidade acima de tudo, há que manter um nível, e o Jorge tem um alto nível que tem que ser preservado.


Até eu voltar

Desta vez tem que ser
Esta noite vou deixar o Porto
Já tenho no bolso o bilhete
Para a camioneta que parte agora à meia noite

Estava a ver que nunca mais conseguia sair do Porto
Tanta gente porreira a meu lado
Quase me fez esquecer
Que tinha mais que fazer

Um contrato assinado
Pode ser um açoite
Para quem não gosta de se comprometer

Hei malta!
Aguentem essa vossa franqueza
Segurem bem essa firmeza
No coração e no olhar

Hei Malta!
Não percam essa vossa maneira
De transformar em sementeira
A passagem de quem por aí passar
Até eu voltar

Porto, Porto
Mandou um amigo meu
Para as espiras do disco
E eu vi o meu nome gravado
Por gente que encontrei lá em Santa Catarina

Fui levado para a esquadra
Mas valeu a pena correr o risco
É que eu não tinha contrabando
E os agentes compreenderam que a música pode ajudar

Uns bons acordes da rua
E toda a gente atina
E então, ninguém pensa em roubar

Hei malta!
Aguentem essa vossa franqueza
Segurem bem essa firmeza
No coração e no olhar

Hei Malta!
Não percam essa vossa maneira
De transformar em sementeira
A passagem de quem por aí passar
Até eu voltar

Hei Malta!
Não percam essa vossa maneira
De transformar em sementeira
A passagem de quem por aí passar
Até eu voltar

Jorge Palma 1982

28 comentários:

Pêndulo disse...

André

desculpa, mas creio que o Mestre faz parte da máquina que dizes, e creio que, ao que me apercebi, ele sabe das muitas propostas para os concertos, especialmente de Abril a Setembro, com as festas académicas e as feiras e festas de verão. É assim, é nesta altura que há procura e não vale a pena sermos inocentes, qualquer pessoa precisa de um rendimento para sobreviver, mesmo os génios...

...obviamente que com o passar dos anos, já não respondemos da mesma forma - eu aos 25 era capaz de fazer maratonas de trabalho que duravam 2 semanas a dormir 2 ou 3 horas por noite, aos 30 as maratonas reduziram-se para metade, aos 35 precisava de dormir mais e agora se trabalho até mais tarde 2 dias, é a desgraça completa...

Com o Mestre não será muito diferente, nem com qualquer outro ser humano, por muita resistência que tenham... e a resitência diminui com o passar do tempo e com os maus tratos que damos ao corpinho... ele aguenta até uma determinada altura, depois ressente-se... e o Mestre nunca foi muito cuidadoso...

Suponho que também o tempo na Baía de Cascais não estava muito agradável- no sábado estava um vendaval horrososo, daí ontem não ter feito grande esforço para ir a Cascais...

Mas convém tentar ver as coisas de uma forma mais pragmática, sem ver "idolos sagrados"...

Anónimo disse...

Voltando ao assunto, já depois de ter opinado sobre o concerto de ontem no post abaixo, gostaria de dizer que "cais máquina capitalista, cais quê"...!!!! O Palma toca porque quer e não venham com justificações sem nexo.

Porque se a voz que ontem não se lhe soltava pode ter a ver com excesso de concertos, a postura de completa palhaçada, o desacerto da banda, a falta de ritmo, o estado em que se sobe a um palco,....são de única e exclusiva responsabilidade do Sr. Jorge Palma.

Aquilo ontem foi deprimente. Estive de frente, encostado ao gradeamento, de onde tudo se pode observar, de onde nada escapa. Nem sequer a triste figura de andar descalço sobre o palco, como se de um mendigo se tratasse.

Dá dó, ver "aquele" Palma.



sandro

cristiana disse...

eu não vi o concerto do Jorge em cascais. Mas vi o concerto do Jorge Palma no passado dia 13 em Portimão e no dia 25 deste mês em lagoa, ele também foi pró palco descalço, também teve brancas, també disse pra não puxarem muito por ele,também deu aquelas gargalhadas enormes ao micro, enfim fez tudo o tinha direito, axo que ninguem vai para um concerto do Jorge à espera de o ver vestido com fato e gravata. e na minha opinião, o Jorge Palma já leva alguns anos de carreira, mais alguns anos de vida, e acho que por todos esses anos já ganhou um estatudo de fazer "quase" tudo no palco.Afinal, ele é um génio, é o Mestre Jorge Palma.
(www.krisfotoblog.blogspot.com)

Pêndulo disse...

...pronto... se o problema é o joanete a incomodar, como prenda de Natal ofereçam-lhe uns crocs... desde que descobri os belos crocs não quero outra coisa nos meus belos pés de cinderela... :)))))

Anónimo disse...

O ter actuado descalço é a cereja no topo do bolo do completo desmazelo, palhaçada, falta de respeito pelo e total bandalheira que foi o concerto.
Na minha opinião, claro.

Pessoalmente acho o contrário, Cristiana. Os anos que passam, a tarimba que se ganha, o estaturo que se atinge...não devem servir para sustentar posturas como aquela que o Palma (e apenas o Palma, porque os Demitidos são impecáveis na sua postura de completa subserviência ao seu amo...)teve em Cascais.

A interpretação da Estrela do Mar, como sempre a solo ao piano, foi triste, lenta, quebrada, berrada,...falhada.

Foi demasiado mau, acreditem.


sandro

cristiana disse...

Respeito a tua opinião, apesar de não concordar com ela.
Eu não acho uma falta de respeito a maneira como o Jorge se apresenta em palco, apesar de ser uma forma pouco convencional, e até desleixada, com uma actuação aquém do que era esperado.
Mas eu vejo as coisas por outro lado, eu acredito que a forma "desleixada" que ele se apresenta,a tal "palhaçada" e a "total bandalheira" que foi o concerto, deve-se a um homem (já com uma idade considerável e que raramente se preocupou em perservar o corpo) cansado, práticamente esgotado, pelos concertos (quase) diários tendo que percorrer de norte a sul o nosso país, e ningém é de ferro (muito menos o Jorge Palma:) )
Desculpa estár a responder aos teus comentários Sandro, mas é com todo o respeito que o faço, não quero entrar em conflito com ninguem, apenas limito-me a escrever o que sinto, e pelo o jorge sinto um enorme carinho e uma grande admiração.
Tudo de Bom...

Pêndulo disse...

E o desleixo e os maus concertos nas tournées anteriores? ou será que isto é recente? e nos anos anteriores nada de estranho se passava?
Eu já paguei 60 euros por um bilhete no Coliseu do Porto para ver um concerto, mais viagens e portagens, e sair de lá completamente desalentada... só me faltou gritar "quero o meu dinheiro de volta!!!!!!!"
Pois, de recente não tem nada... e mais uma vez, não existe ninguém a apontar uma arma ao Mestre, para ele fazer 100 concertos por ano... na altura em que aceitou fazer os concertos deveria ter pensado se teria condições de o fazer.

A César o que é de César... e não culpem quem simplesmente cumpre "ordens". Aqui ninguém é obrigado a fazer concertos- se os faz é porque quer e porque há interesse nisso...

Ricardo C. disse...

Não estejam a defender o Palma, mas também não o critiquem!...Deixem-no andar!...é certo que faz alguns concertos maus, mas ontem, no dia seguinte ao concerto mau (são vocês que dizem, que eu não vi!) deu um concerto excelente no Festival do Norte Alentejano no Crato...O Mestre é o Mestre, sempre imprevisível...Deixem tar o homem! ;)
ADORO O PALMA! :-D

Anónimo disse...

Pelo contrário, meu caro. Há que se criticar e louvar.
O Palma nem está sempre mal nem sempre bem.
Agora não se esteja é a desculpar e a arranjar motivos disto e daquilo quando as coisas correm mal. E em Cascais, correram.

Vi por exemplo o Palma com o Vicente em Coruche no ano passado e foi um espectáculo. Vi o Palma com os Demitidos este ano em Alcácer do Sal e foi muito bom. E comentei positivamente isso neste blog.
Agora na 3ªf foi mau demais. E na minha opinião o Palma tem obrigação de saber gerir os limites do menos bom e não cair no triste espectáculo circense como o que se viu em Cascais.

saudações,

sandro

Pêndulo disse...

De facto, Jorge Palma é imprevisível... a seguir a um mau concerto segue-se um bom...

Quanto a não criticar, desculpem-me, mas quanto a mim, aos fãs não compete apenas adorar os ídolos e torná-los intocáveis. Quem faz centenas de kms para ver um concerto, quem compra 10 ou 20 ou 30 bilhetes por ano, e faz estrada para ver Jorge Palma, como muitos de nós fazemos, merece um pouco de consideração. Obviamente que vamos porque nos apetece, porque gostamos da música de Jorge Palma, ninguém nos obriga, e de certeza que se faltarem 30 ou 40 fãs, não é por isso que o concerto não se realiza. Mas às vezes é triste irmos a concertos e pensarmos que mais valeria ter ficado em casa a ouvir um cd do Mestre...

Mas como digo, Palma é assim mesmo... embora por vezes, não fizesse mal ao Mestre pensar no público que foi ali para o ver de propósito e que merece respeito... e esta parte, muitas vezes falha!! E continuará a falhar se ninguém disser nada. Porque as críticas construtivas fazem o mundo seguir em frente um pouco melhor... se alguém não tem poder de encaixe para estas críticas feitas de forma construtiva é um problema grave, mas aí terá que consultar um especialista...

E como falaram na marcação de imensos concertos como a origem do problema, eu expressei a minha opinião...

Anónimo disse...

a mim parece-me que todos têm alguma razão no que sentem...e eu constato que o jorge age como o geminiano que é, exarcebado pelos excessos e pela vertigem que fazem parte integrante daquilo que ele é realmente - não alguém que bebe o seu chá ou leite à noite antes de se ir deitar... e, justamente, daí a poesia na sua vida, daí a mais que certa solidão de quem ao fim de tanto tempo não deixou de se observar a si próprio e sabe de cor todos estes sentimentos que se contradizem ... há sempre algo claramente aristocrático na distância existente entre alguém que se expõe ( narcisismo também claro, mas é essa a flor simbólica dos gémeos que se perdem a olhar para si próprios e por isso vivem como personagens das ficções que inventam ) sabendo que está a ser observado. ele sabe e julgo, não sei, que já não se importa muito...
g.

Pêndulo disse...

De facto, Jorge Palma apresenta todas as características de um gemininano genuíno... e de facto, isso está manifestamente presente no tema "Só"... e sei isso porque também sou do mesmo signo e apresento muitas das características típicas (embora, infelizmente, não seja um génio... ou pelo menos, a minha "arte" é diferente, e poucos se dão conta).

E de facto, já pouco lhe importa o que os outros pensam de si, daí o viver constantemente na "zona limite"... embora ainda continue a acreditar que muito de quando em vez alguma coisa no Mestre possa mudar para melhor...

Ricardo C. disse...

Com mais de 30 anos de carreira que tem acho que não vai ser agora que o Palma vai mudar, nunca precisou de o fazer, não é agora que o vai fazer.
Também eu já fiz muitos quilómetros para ver um concerto e chegar lá e ele estar a cair de bêbedo, a enganar-se, a misturar letras, etc. etc. (Évora 2007) lembro-me de na altura ficar triste, mas agora já me sinto um pouco mais conformado, acho que todos nós que somos fãs de Palma sabemos que é um sempre um risco que corremos quando vamos ver um concerto do Jorge…mas mesmo assim vamos não é? ;)
Eu tenho apenas 22 e acompanho a carreira do Mestre desde, mais coisa menos coisa, 2004 e tenho tentado sempre comprar os discos mais antigos (bastante bons, por sinal) … não sei como é que ele era a quando do início da carreira…Seria diferente? ... Pelo que tenho lido não!...Para mim ir ver um concerto mau do Palma acho que já é só chato!...
Se calhar fiz o comentário anterior um bocado a quente, o que realmente me chateia é ver pessoas que não conhecem minimamente o trabalho o Palma irem para os concertos mandar bocas e abandonarem os concertos ao Encosta-te a mim! ... Nesse sentido gostaria que ele mudasse, para não ouvir críticas que não são mais do que ignorância … Mas se o Mestre não quer saber, porque é que me hei-de estar a chatear com isso ???
Também não quero cair nessa de tornar o Palma um ídolo intocável, ele é uma pessoa como nós, tem as suas qualidades e há-de ter os seus defeitos! ...
Pronto, acho injusto, ás vezes gabá-lo, levar pessoas a ver concertos e depois não conseguir fazer valer a minha opinião. :-S

O concerto do Crato foi para mim muito especial, foi no dia dos meus anos e tava com a minha namorada que também adora a musica do Palma…Foi Lindo!!!

Já agora, alguém me sabe dizer como se chama aquela música em inglês que ele canta a seguir ao Homem Invisível no Palma’s Gang no Johny Guitar (ainda não tive tempo de pesquisar).

Abraços a todos! ... ;)

Pêndulo disse...

Palma bem comportadinho, de fato e gravata, atinadinho, com as letras e os acordes bem sabidinhos, é impensável - algo assim só pode ser um clone imperfeito... mas creio que os exageros excessivos devem ser apontados...

...mas só vamos ver Palma porque gostamos, ninguém nos obriga... embora às vezes (falando por mim e por outros que conheço), pensemos bastante se valerá a pena ir... mas na mesma semana já lhe vi um mini-concerto para esquecer e um dos melhores... saber como será o concerto é talvez mais difícil que acertar nos jogos da SCML...

Quanto aos concertos, uma das minhas sugestões seria começar pelo grande hit... a malta do encosta-te desencostava-se, deixava ouvir o concerto a quem vai para ouvir o concerto todo, e éramos todos mais felizes...

Ricardo C. disse...

lolol....grande ideia pêndulo!... ;-)

Anónimo disse...

A mim, pelo menos, nunca ninguém dos que estão fora do palco me fez sentir incomodado num concerto do Palma. Já o próprio, em Cascais, me deixou sobremaneira pensativo se valeria a pena voltar a vê-lo.
Não o quero de fato e gravata. Mas "não lhe admito" que passe um concerto a tentar passar a imagem de que afinal estávamos no circo Cardinali.
Tem de haver mínimos de respeito para com o público e até, no limite, para com os músicos que com ele tocam. Para com ele próprio...ele lá saberá se vale a pena.

sandro

Anónimo disse...

Mas tocou mal?...a ideia que tenho é que ele toca, canta e compõe 100 vezes melhor bêbedo do que mtos que andam aí sóbrios!...

Pêndulo disse...

...meu caro ANÓNIMO, quando nos comparamos, convém sempre que seja a quem faz mais e melhor que nós, se não queremos ser ainda mais medíocres do que aqueles que já fazem menos e pior...

...e Palma podia ter melhor comportamento em palco e a maior parte dos concertos podiam ser bastante melhor... que capacidade e talento para isso não lhe falta... mas falta outra coisa talvez tão ou mais importante: força de vontade!!!!!!!

André disse...

Após leitura atenta de todos os comentários agora aqui escritos, quero ver se consigo expressar de forma decifrada aquilo que eu realmente queria dizer com o mote que deu azo a toda esta discussão. Eu nunca quis ilibar o Palma de nenhuma da sua culpa, não se trata disso. Ele tem os seus problemas e estes são obviamente prejudiciais para a sua performance enquanto artista. Mas, tentem ver as coisas por este prisma. Posso estar redondamente enganado, mas eu pergunto: Se vocês fossem agentes de um músico, qualquer que fosse, não sei se agendariam para o mês de Agosto 14 espectáculos desde de o Algarve até à Cerveira, viagens enormes, cansativas, noites mal dormidas etc... Eu quis fugir aquilo que vocês entendem como grande fulcro do problema, e ver as coisas por outro lado. Porque em Cascais em vi um Jorge Palma acima de tudo muito cansado e rouco. E eu não sei, desconheço, mas aposto que há interesses e culpas que não se podem imputar exclusivamente a um homem.
A sua equipa de produção é um todo que julgo eu, toma parte de muitas das decisões e propostas, aliás os agentes servem para isso.
Peço que se coloque um ponto final nesta questão, ou então que apenas escreva quem tem algo de novo a acrescentar, porque chover no molhado é completamente desnecessário.

R. Calhau disse...

Ok ... penso que tem razão!... está quase a acabar ... vai ter as merecidas férias! ;) ... Lamento a discussão ter tido estas proporções, mas também achei que era uma boa oportunidade de expressar alguns dos meus sentimentos em relação a esta problemática

...

Um bem Haja a todos porque ... "Enquanto houver estrada pra andar, a gente vai continuar"

Pêndulo disse...

André

desculpa, mas por um lado, falou-se por aqui de alguns pormaiores importantes e houve várias perspectivas de quem vê Palma... se calhar, pode ser que isto não caia em saco roto, e ajude a que as coisas futuramente corram melhor.
Há que ser optimista...

Por outro lado, logo no primeiro post te disse que os agentes apenas fazem o que lhes mandam- e que tanto quanto sei, até são eles que lhes chamam a atenção para a quantidade excessiva de concertos.
Não adianta estar a atirar culpas para quem não as tem. Este ano metade dos portugueses têm o "encosta-te a mim" como toque de telémovel, obviamente que Jorge Palma acaba por ser requisitado pela maioria das festas e feiras deste país. Agora, cabe ao Mestre saber qual é o seu limite, e quem tem a última palavra é mesmo Jorge Palma, porque tanto quanto sei, os concertos nunca foram marcados "nas suas costas".

Portanto, embora nem conheça pessoalmente os agentes, nem nunca tenha mantido grande contacto, creio que é injusto atribuir-lhes culpas que não lhes cabem.

De qualquer forma, Jorge Palma é imprevisível, e durante bastantes anos nos seus concertos em Coimbra me perguntei se quem estava em cima do palco era a mesma pessoa de alguns dos discos que eu tinha e de que gostava bastante. Mas custa-me muitas vezes ouvir alguns comentários de quem vai ao concerto não para ouvir os bons temas mas para ver o comportamento do Mestre em palco, embora contra factos não haja argumentos possíveis, especialmente em zonas em que os concertos de Palma não são habituais...

Mas Palma é Palma... e "enquanto houver estrada para andar a gente vai continuar"

Anónimo disse...

..."Porque em Cascais em vi um Jorge Palma acima de tudo muito cansado e rouco"...

André,...e não viste mais nada? não viste, ou sentiste, uma postura em palco completamente bacoca com um completo alheamento por quem ali estava para o ver e ouvir, servida de "private jokes" em palco entre o Palma e os seus músicos e recheada de desacertos temporais no ritmo das músicas e desbragada apresentação dos elementos do staff?

Eu vi. Foi muito triste,tudo aquilo.

Pêndulo, ainda não o disse, mas corroboro o que tens escrito ao longo dos teus comentários.

saudações

sandro

André disse...

"acima de tudo" escrevi. tudo o resto já se sabe sim!... Eu já tenho muitos concertos, muitas fases, é difícil explicar, é difícil definir uma forma de estar em relação a isto. Nanda, andas nisto há muito mais tempo, e por isso mesmo penso que tu mesma já tiveste as tuas duvidas em relação ao porquê. Se é que me faço entender.
Quando se está por dentro é mais difícil opinar, por tudo. E quem conhece Jorge Palma, quem tem o privilegio de estar por momentos à conversa com ele consegue saber que aquele ser fascinante tem desculpa para "quase" tudo. Não sou nem nunca serei a pessoa indicada para formular qualquer tipo de comentário assertivo em relação a esta temática.
Enquanto houver estrada para andar, enquanto houver alma, enquanto continuarmos a batalhar... Está tudo bem, digamos que sim.

Pêndulo disse...

André

realmente há formas diferentes de olhar para a coisas... mas pelo facto de pretenderes desculpar o Mestre, não podes atirar a culpa para quem não a tem. Para visualizar melhor é preferível afastarmo-nos um pouco... e quanto a mim, desculpar o indesculpável só agrava a situação.

E de facto, se Jorge Palma não nos dissesse nada e se não fosse importante, nem tu, nem o Gravito nem eu, nem o Tiago, perdiamos tempo com este blogue... por isso "enquanto houver estrada para andar a gente vai continuar"...

André disse...

Eu não pretendo desculpar ninguém, já o disse muitas vezes... Nunca perdi tempo de nenhuma forma ao fazer isto. Ganhei apenas, acredita... Aquele concerto realmente foi o pior que eu vi, deve ser por isso que o senti desta forma, que me expressei. O que salvou aquele concerto foi o - entertainer - quase tocado com sucesso. Lavou a Cara. Saudações. Até eu Voltar.

André disse...

p.s Eu sei que o perder tempo, foi apenas força de expressão.

Pêndulo disse...

então... Té já :-)))))))))))

Ricardo C. disse...

Estão a ver ... o Palma tem sempre uma palavra a dizer .... lolol ... "Equanto houver estrada pra andar a gente vai continuar", "Té já" ... etc etc etc

Isso é que eu gosto nele ;D