sábado, outubro 23, 2010

20 de Outubro no Teatro da Trindade

20 de Outubro, fim de tarde em Lisboa. A movimentada Baixa corria em todos os sentidos. Um dos sentidos era as portas do Teatro da Trindade. O público que esgotou sala, tomou o seu lugar, enquanto Jorge Palma aguardava que tudo estivesse pronto para poder entrar em palco. O momento era especial, marcava o regresso de Jorge Palma a palco completamente a solo. Muitos dizem ser esta a sua verdadeira essência. Os cerca de 90 minutos de concerto que se seguiram não os desmentem. Primeiro na guitarra com Lobo Malvado e Voo Nocturno. Depois , e sempre, embora não fosse isso o previsto, o piano. Como diz Palma, "É no piano que me expresso melhor", e o público vibrou com o retorno de Jorge Palma ao seu formato verdadeiramente intimista. O alinhamento foi esquecido por momentos para que os espectadores tivessem voz no espectáculo. Era o público do Jorge Palma que lá estava, a pedir aquelas menos tocadas.
"Portugal, Portugal", " Passos em Volta" foram dois dos temas que saíram do piano naquela tarde.
O tempo apertava, e a vontade de todos para ficar mais tempo não se podia ver cumprida. A seguir havia teatro no Teatro. Mesmo assim, as palmas não cessaram e Jorge Palma voltou para um encore, onde se puderam ouvir "Cara d'anjo Mau" e "Encosta-te a Mim".
"Tu sabes cantar tão bem...", disse uma criança em tom envergonhado, enternecendo a sala, após Palma ter dito para terem piedade da sua voz, dados os inúmeros pedidos de canções. -"Obrigado minha querida, já vi que tenho futuro assegurado".
A sala saudou Palma de pé durante muito tempo, enquanto este agradeceu o calor, com uma vénia feliz.

2 comentários:

Anónimo disse...

quem me dera ter lá estado...gosto do Jorge de qq maneira, mas é, sim, ao piano que eu o prefiro. Fico feliz por ter sido uma grande tarde para quem lá pode estar. Beijos

Ana Loura

vasco disse...

Foi lindo. Ponto.