sexta-feira, março 01, 2013

Jorge Palma | Grândola, Vila Morena


É bom centrarmo-nos e, sobretudo, citando o nosso maestro Victorino de Almeida, não deixarmos que Portugal se torne numa espécie de cão abandonado que lambe as mãos do primeiro que lhe der qualquer coisa para comer.
Merecemos ser muito mais que isso, haja dignidade, coragem, inteligência e solidariedade de facto. Isto está só a começar, o rumo da locomotiva está nas nossas mãos.
BOA VIAGEM!


        

2 comentários:

Ceres disse...

Não podemos ficar na estaçâo há espera que a locomotiva passe e nos leve.
Temos que nos por a caminho, criar o nosso próprio caminho.
Deixamos o condutor em terrá há quase 40 anos, porque queriamos seguir o nosso destino, não podemos ficar agora há espera que outros conduzam por nós, que outros nos levem.

Está na hora de ficarmos unidos, e trabalhar para o bem cumum, esqueçam os partidos!

Paulo Sá disse...

Portugal não é um território... é um povo, são as gentes, que durante séculos semearam pelo mundo a cultura do fado e também beberam da cultura das gentes com que se cruzaram. Portugal tranportou o mundo nas suas mãos e apresentou-o aos povos que o desconheciam.
Nos últimos tempos Portugal tem perdido a sua identidade, tem sido conquistado por povos que menosprezam outros povos, que querem beber do nosso sangue e de forma dissimulada levar-nos à ruina.
Está na hora de acordarmos, de nos erguermos, de mostrar que somos gente de bem, mas que tal como reza a história, sempre vencemos as adversidades contra os adamastores que tiveram a infelicidade de nos enfrentar. Acorda Portugal, traça o teu próprio caminho.
Paulo Sá