quinta-feira, outubro 04, 2007

Coliseu enche para ver Mafalda Veiga e João Pedro Pais- Jorge Palma deu brilho à noite


Lado a lado perante milhares de pessoas. Foi desta forma que o duo Mafalda Veiga e João Pedro Pais se apresentou no Coliseu dos Recreios para escrever uma bonita página no seu projecto conjunto, o disco «Lado a Lado», editado este ano.
Rodeados de «amigos», no palco e não só, esta foi uma noite especial para os cantores portugueses. Luis Represas, com quem João Pedro Pais já partilhou o palco algumas vezes, foi um dos amigos que fez questão de estar presente.
Pouco passava das 22 horas quando os artistas entraram em palco perante um Coliseu dos Recreios completamente lotado.
«O Dia Mais Longo» foi o tema com que o duo abriu o espectáculo, num registo vocal cúmplice.
Seguiu-se «Ninguém é de Niguém», um original de João Pedro Pais, «Por outras Palavras», «Lembra-te de Mim» e «Cada Lugar Teu», o primeiro grande momento da noite.
O tema de Mafalda Veiga, aqui interpretado pelos dois cantores, «puxou» pelas milhares de gargantas, que entoaram cada verso da canção de uma forma espontânea e dedicada. O público, na sua maioria do sexo feminino, aproveitou a belíssima noite e foi parte integrante no espectáculo.
A noite não era, definitivamente, apenas de João Pedro Pais e Mafalda Veiga. Estava também reservada aos amigos do duo. Zé Mário Branco foi a dizer «presente» e a entrar em palco. O cantautor português que já colaborou, entre outros, com José Afonso e Sérgio Godinho, interpretou o seu tema original «Aqui Dentro de Casa», que faz parte do alinhamento de «Lado a Lado», e ainda o tema «Do que um Homem é Capaz».
Depois Mafalda Veiga ficou lado a lado com António Pinto, com quem interpretou «Uma noite para Comemorar» e «Cúmplices», permitindo a João Pedro Pais ter uma breve pausa para recuperar o fôlego.
De seguida os papéis inverteram-se e o cantor ficou só em palco para interpretar três canções do seu reportório pessoal. «Do Outro lado do Mundo», «Um Resto de Tudo e «Mentira», o segundo grande momento da noite.
A escuridão foi invadida pelo brilho dos telemóveis, sinal dos novos tempos, a substituir os tradicionais isqueiros, que outrora tinham mais expressão como recurso habitual devido ao seu efeito visual.
João Pedro Pais disse que quando escreveu «Mentira» ainda deveria ser um pouco ingénuo, mas foram poucos os presentes que não se entusiasmaram com este «ingenuidade» do cantor português.
Pese embora alguns contratempos técnicos no som, pormenores mínimos, a produção do espectáculo esteve irrepreensível, a quem João Pedro Pais e Mafalda Veiga não deixaram de dar uma palavra de reconhecimento. Detaque para as seis telas montadas no palco, por detrás dos artistas, que ajudaram ao espectáculo cénico que variava de acordo com as letras das músicas tocadas no momento.
Fausto foi outro dos compositores de luxo convidados pelo duo para abrilhantar a noite e cumpriu o seu papel na perfeição. «Foi por ela» e «Lembra-me um Sonho Lindo» foram os temas que fluiram da junção das três belíssimas vozes de Mafalda Veiga, João Pedro Pais e Fausto.
O irmão mais velho: Jorge Palma

Quem assistira ao concerto de Jorge Palma no metro do Cais do Sodré percebera a cumplicidade com João Pedro Pais, a quem dedicou o concerto na altura. O autor de «Louco por Ti» retribuiu o gesto e «convocou» o irmão mais «velho» para ir ao Coliseu. Palma não se fez rogado e interpretou «Encosta-te a Mim», o seu grande sucesso do momento, para delírio e surpresa das milhares de pessoas presentes. O abraço dos artistas no final da canção perante uma estrondosa ovação mostrou que a música nacional está bem e recomenda-se.
Com todos os artistas em palco, a despedida foi feita perante uma chuva de aplausos. E no ar ecoaram as palavras finais de João Pedro Pais: «Não dizemos adeus, dizemos até sempre».
E o até sempre é, neste caso, até amanhã. A dupla volta a actuar esta quinta-feira, dia 4 de Outubro, no Coliseu dos Recreios, depois de também já ter passado, no dia 29 de Setembro, pelo Coliseu do Porto.

4 comentários:

Maurette disse...

Quando o Jorge entra, tudo sempre brilha... :))

Mvalente disse...

Creio que colocar o João Pedro Pais no mesmo "saco" que os outros dois é pura ilusão.
O Jorge é pura arte, puro sentimento. A Mafalda pura doçura.
E o João, pura prova que qualquer tipo pode ser "músico" ou "cantor" neste Portugal..

Landu disse...

http://www.youtube.com/watch?v=CGKKb2YgWs4

Márcio disse...

Não estive oportunidade de estar presente nesse concerto... mas acredito que tal como ao que viu, no Porto, tenha sido inesquecível de facto!